INTRODUÇÃO

Você já viu algum programa em Closed Caption na sua televisão anteriormente?

    Se ainda não, é porque você não dispõe de um decodificador de Closed Caption (Legendas fechadas, ou legendas invisíveis) internamente no seu aparelho de TV ou através de um receptor externo de Closed Caption. Desta forma, você não saberá bem o que é o CC. Mais precisamente, o Closed Caption é uma forma animada de subtítulos (legendas) dedicadas aos deficientes auditivos, crianças que estejam despertando para a aprendizagem em Língua Portuguesa, que estimula o analfabeto a memorizar as palavras, e auxilia idosos no acompanhamento da programação, tendo grande aceitação em locais públicos onde não se pode ter o volume alto como em hospitais, aeroportos, hotéis, etc. Também ajuda estrangeiros a aprender a falar o nosso idioma, mais facilmente.

Mas, vamos falar mais a respeito do Closed Caption...

   Closed Caption são legendas de palavras(captions) transmitidas pelas emissoras de TV durante jornais, novelas, programas infantis, documentários e filmes, dentre outros. Essas legendas só se tornam visíveis quando você usa um decodificador específico de Closed Caption.

   Closed Caption em televisão não é nenhum truque de mágica, é, sim, um recurso simples de eletrônica que facilita a vida de muitas pessoas. Em 1993, quando tentei implantar o Closed Caption no Brasil, era quase impossível devido ao alto custo dos receptores de Caption; na época, Closed Caption era um privilégio de poucos nos Estados Unidos. Após alguns anos o Instituto de Closed Caption dos Estados Unidos e a Pana vídeo Usa conseguiram desenvolver métodos e tecnologia voltada para a realidade dos brasileiros.

  Após o projeto de Lei do Senador Lúcio Alcântara, que regulamenta o uso do Closed Caption no Brasil, se viabilizou a criação do Instituto de Closed Caption do Brasil que cuida do interesse dos surdos e fornece regras e elementos práticos para melhor adaptar o Closed Caption no Brasil.

OBJETIVOS

Deficiente auditivo

  Fazer-se cumprir a lei que coloca o ser humano surdo e telespectador ao direito de igualdades, sem qualquer discriminação por sua deficiência. (Consumidor dos produtos anunciados na TV)

1) Fazer com que o deficiente auditivo no Brasil não seja mais discriminado pelas emissoras de televisão do país, tornando assim que todos os telespectadores recebam por direito um tratamento igual.

2)Incentivar o analfabeto através de novelas e programas em Português na TV, estimulando e ensinando o idioma nacional.

3)Outros trabalhos serão realizados paralelamente como: curso de línguas para estrangeiros, etc.

4)Dirigir, regulamentar, auxiliar perante a Lei, emissoras de  TV Digital e a CABO, montadora de TV no Brasil, passando toda a tecnologia já existente no mercado de Caption.

5)Fazendo o possível para que o deficiente auditivo de baixa renda possa receber os mesmos benefícios dos mais privilegiados.

FUNCIONAMENTO

Como funciona na prática?

Com experiência de 10 anos acompanhando o desenvolvimento do Closed Caption nos Estados Unidos, Léo David, irá adaptar a mesma metodologia usada nos EUA adaptada às condições brasileiras.

Closed Caption se iniciou na década de 80 nos EUA e temporalmente novas tecnologias surgiram, acompanhadas de leis e regulamentações que tornaram possível sua evolução e sobrevivência. Uma dessas leis nos EUA que é importante lembra é a Television Decoder Circuitry Act of 1990, section 330, act 1934: "Nenhuma empresa, comércio, fabricante, montador ou importador, poderá usar ou comercializar aparelhos de televisão de 13" ou acima sem a utilização do decodificador de Closed Caption internamente.

Outras leis foram criadas e estão em vigor no momento para emissoras de TV nos EUA. Aqui no Brasil, estamos fazendo o possível para adaptar esse trabalho às condições da Legislação brasileira.

História do Closed Caption

1980 - Basicamente teve seu início em março de 1980 mais muitas coisas aconteceram antes e depois disso.

1970 - Quando as transmissões iniciaram –se não se pensava em usar CLOSED CAPTION nos Estados Unidos para deficientes auditivos e sim para enviar hora certa para toda nação.

1971 - Em NASHVILLE, TENNESSEE, foram apresentados 2 categorias de tecnologia direcionadas para o deficiente.

1972 - (15 de fevereiro) Houve melhores resultados com custos mais baratos, mas mesmo assim, houve grandes dificuldades financeiras por falta de investimentos.

1973 - O Ministério de Educação e a TV pública do governo resolveram transmitir semanalmente um programa em CAPTION levando o interesse às agências de publicidade e seus clientes.

1982 - Foram feitas as primeiras transmissões em tempo real para jornalismo e esportes.

1989 - Foi criado o primeiro microchip de Closed Caption pela empresa ITT Corp. Juntamente com o NCI.

1993 - Foi introduzido no Congresso Americano o "TELEVISION DECODER CIRCUITRY ACT" obrigando toda TV de 13" fabricada ou importada para o mercado americano a ter um circuito decodificador de CLOSED CAPTION internamente, fazendo assim com que milhões de pessoas tenham acesso ao CLOSED CAPTION num simples botão de controle remoto.

1994 - Foi desenvolvida nos USA, o firmware para decodificação de caracteres especiais para língua portuguesa, possibilitando a transmissão sem erro de português na TV brasileira  na PANAVIDEO USA CORP, empresa especializada em tecnologias de video para sistema PAL-M e NTSC em Miami Florida pelo seu diretor Léo David. 

1995 - Foi feita a primeira demostração da tecnologia de Closed Caption adaptada ao idioma português brasileiro, na empresa especializada em tecnologia de video Dr. Video em Fortaleza Ceara.

1996 - Foi apresentado a empresária da (XUXA) em Miami, um video gravado de um programa XUXA Parque transmitido pela TV a CABO americana, onde foram adicionados legendas de Closed Caption em inglês para atender as necessidades dos surdos americanos pela emissora de TV. Nessa mesma data a empresária me recebeu no seu escritório no Rio de Janeiro, e ficou impressionada com a comunicação dedicada aos surdos americanos no programa da XUXA nos USA. Na mesma semana e agendou uma com a presidência da TV Globo para apresentação da tecnologia.  Na presidência me foi recomendado apresentar a solução ao diretor-geral que estava de licença e foi trocado por uma diretora posteriormente. Parte da documentação e vídeos além de informações técnicas sobre a tecnologia foram apresentadas ao diretor geral de engenharia da emissora.

  (Duas semanas apos a apresentação do produto a emissora que mostrou total desinteresse, ao retornar para os USA, fiz uma para em Fortaleza Ceará e numa manhã de sábado, na empresa especializada de tecnologia em video. Dr. Video foi solicitado ao diretor da empresa a inserção de Closed Caption na TV de um dos seus clientes que tinha um filho que era surdo e apos viajar numa turnê medica viu as televisões americanas no quarto do hotel com essa tecnologia Dr. paulo Rosas diretor do instituto dos rins de Fortaleza, que me foi prontamente apresentado e relatei que seria difícil acontecer, pois, acabara de apresentar a tecnologia a uma emissora no rio de janeiro, sem muito sucesso. Em seguida me perguntou como funcionava nos USA, e respondi que em 1993 através de um projeto-lei todas as emissoras de TV deveriam forma gradual a cada ano, passar a transmitir legendas de closed caption na sua programação ate alcançar 100% de programação diária para atender a todas as necessidades aplicadas as legendas, beneficiando surdos, pessoas de terceira idade, imigrantes que desejam aprender o idioma inglês, analfabetos e crianças no período de alfabetização.

Nesse momento nasceu o Closed Caption no Brasil, ele falou ser muito amigo do Senador Lúcio Alcântara, que era médico e poderia adaptar a lei americana no Brasil, obrigando as emissoras a atender as necessidades de pessoas surdas e crianças no período de alfabetização. Toda a lei foi traduzida, adaptada e apresentada no senado posteriormente, sendo a primeira lei sobre o assunto no Brasil.  O projeto de lei nº 3.979 de 2000, de autoria do Senador Lúcio Alcântara propõe a obrigatoriedade das televisões apresentarem suas programações com legendagem oculta, de maneira gradativa anualmente, até abranger a totalidade da programação.)      

1997 - No dia 16 de agosto de 1997 foi lançado no Jornal Nacional a primeira transmissão de Closed Caption extraída das legendas do serviço de teleprompter ao qual os jornalistas se baseiam para fazer o jornal na TV.

   

 

 

   Como os defensores dos surdos venceram a batalha pela legenda oculta e mudaram a maneira como os americanos assistem TV.

    Três funcionários da Canadian Captioning Development Agency assistem a monitores de televisão em um estúdio onde o Closed Caption era gerado.

Decodificadores de Closed Caption 

Informações técnicas  de Closed Caption